Motorista que atropelou ciclistas em SP não freou e estava a quase 90km/h

Motorista que atropelou ciclistas em SP não freou e estava a quase 90km/h

27 de novembro de 2019 2 Por Flavio Menezes

O motorista MENTIU!!!

VIA:  CBN POR TALIS MAURÍCIO (talis.mauricio@cbn.com.br)

Quase um ano após o acidente que matou três ciclistas na Rodovia dos Bandeirantes, em São Paulo, ninguém foi responsabilizado pela tragédia. A CBN teve acesso ao sistema de monitoramento por câmeras do ônibus que atropelou as vítimas. As imagens, obtidas com exclusividade, revelam uma versão diferente da apresentada pelo motorista em depoimento à polícia.

 

A manhã do dia 26 de janeiro de 2019 nunca será esquecida por cerca de 30 ciclistas que seguiam pela Rodovia dos Bandeirantes. No quilômetro 17, quase na chegada a São Paulo, o grupo foi atropelado por um ônibus de viagem.

“Eu fui uma das vítimas. Uma das últimas que ele atropelou. Eu cai atrás da roda do ônibus. Por algum motivo o ônibus não passou em cima de mim, só em cima da bicicleta. Qualquer erro mínimo, né, destrói a vida da gente”, afirmou a funcionária pública Alethea Tachinardi, que sobreviveu. Não tiveram a mesma sorte Raphael Santos de Miranda, Elvis Julio Marcioli e Keila Blumen. Ao menos outros cinco ciclistas ficaram feridos, num dos acidentes mais graves do ano envolvendo ciclistas.

Na delegacia, o motorista do ônibus, José Luiz do Carmo, disse em depoimento que estava na segunda faixa de rolamento da rodovia e que o pelotão, “abruptamente”, saiu do acostamento e invadiu a faixa dele, batendo “lateralmente” com o veículo. Naquele mesmo dia, a versão foi confirmada pelo advogado da Viação Danúbio Azul, Antonio Carlos Colo:

“Ele estava na faixa normal de rolamento. Quando foi avistado o grupo, o motorista já foi para a outra faixa de rolamento, para a segunda faixa. O bolo de ciclistas abriu e vieram para frente do ônibus.”

As imagens do acidente, no entanto, são diferentes. Com exclusividade, a reportagem da CBN teve acesso ao sistema de monitoramento por câmeras do ônibus. No vídeo, é possível visualizar que o veículo estava na primeira faixa, ao lado do acostamento. A pelo menos 200 metros de distância, o motorista avista o pelotão já na mesma pista, desviando de um carro de passeio que estava no acostamento. A velocidade do ônibus é de 90 km/h. O condutor, então, continua em alta velocidade e, sem esboçar nenhuma reação, parecendo não notar o que estava para acontecer, atinge os ciclistas em cheio, por trás, a 87 km/h.

PARA VER O VÍDEO, COPIE O LINK E COLE NO SEU NAVEGADOR: https://www.facebook.com/radiocbn/videos/373468103432902/

“Ele não está olhando pra frente. Ele não está segurando o volante. Ele inicia o atropelamento a 87 km/h e mantém o atropelamento por 87 km/h. Ele não reduz, ele não freia porque ele não viu o que estava acontecendo. Ele estava atento descascando, eu suponho, uma bala com papel grudado, e ele estava lá distraído com a bala. Então, assim, as imagens do vídeo são bem fortes no sentido de mostrar que houve negligência do motorista”, afirma Alethea Tachinardi.

O advogado Antonio Carlos Colo mantém a versão do motorista e afirma que não era possível evitar o acidente:

“Não teve problema mecânico e o motorista estava em ótimas condições físicas. Não é que ele não viu os ciclistas, ele não teve como evitar. Ele teria que tentar diminuir para jogar para a esquerda. Essa é a única dúvida se ele tinha essa possibilidade ou não de fazer.”

A Polícia Civil investiga o caso. Até o momento, ninguém foi responsabilizado pelo acidente. O motorista do ônibus responde pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar, em liberdade.