Será um Tour de France com menos fãs e mais vento, diz diretor…

Será um Tour de France com menos fãs e mais vento, diz diretor…

2 de julho de 2020 0 Por Flavio Menezes

Programado originalmente de 27 de junho a 19 de julho, o Tour de France ocorrerá na rota planejada, sem alterações, de Nice a Paris.

“Será um Tour de France único e singular, com muitos pontos interessantes, especialmente para os ciclistas que tiveram de se preparar de forma distinta devido a toda esta situação. Terá menos calor, mais vento, veremos menos pessoas nas ruas, provavelmente, mas a festa estará presente, respeitando as medidas sanitárias”, declarou Christian Prudhomme, diretor do Tour, em entrevista à Agencia France Presse.

A pandemia coronavírus deixou em suspenso a realização ou não do Tour. Mas, em abril, a organizadora ASO, após negociação com a UCI (União Ciclística Internacional), remarcou a corrida para 29 de agosto a 20 de setembro. Programado originalmente de 27 de junho a 19 de julho, o Tour de France ocorrerá na rota planejada, sem alterações, de Nice a Paris.

No novo cenário, algumas mudanças estão previstas. “Certamente não teremos beijos nem abraços durante as cerimônias oficiais. E 2020 não será o melhor ano para pedir autógrafos. O público poderá vir ao Tour, mas haverá um filtro mais severo. Nas montanhas, favoreceremos quem subir a pé ou de bicicleta. Mas, repito, a situação pode ser alvo de alterações a cada dia que passa”, destacou Prudhomme.

“Gostaríamos de agradecer a todas as partes interessadas do ciclismo, parceiros do Tour, suas emissoras em 190 países, bem como todas as autoridades envolvidas no Tour de France por sua capacidade de resposta e apoio. Com eles, esperamos que a edição 2020 ajude a virar a página nos dias difíceis que estamos enfrentando atualmente em todo o mundo. Haverá menos fãs, mas ainda será uma festa.”

 

A 107ª edição da corrida, com 3.460 quilômetros, terá 29 subidas categorizadas, seis etapas com chegada ao alto e uma cronoescalada de 36 quilômetros na íngreme subida até Planche des Belle Filles no penúltimo dia. O Tour de 2020 vai passar pelas cinco cadeias montanhosas da França.

A largada será em Nice, com uma etapa de 156 km que deve terminar em sprint na Promenade des Anglais, a badalada avenida beira-mar da bela cidade. A 2ª etapa vai subir o Haut Pays, com 3.700 metros de extensão, e ainda o Col d’Eze e o Col des Quatre Chemins a nove quilômetros da chegada, novamente na Promenade des Anglais.

Depois de Nice, o pelotão segue para o nordeste, com chegadas em Sisteron, Orcières-Merlette e o Mont Aigoual na 6ª etapa. Orcières-Merlette apareceu pela última vez no Tour em 1989, quando Steven Rooks venceu o contrarrelógio individual e Greg LeMond vestiu a camisa amarela. A subida de 1.840m de altura não é a mais assustadora – 11km a uma média de 5,9% -, mas uma chegada ao alto logo no início da disputa deve dar uma boa indicação das ambições gerais dos favoritos. Uma segunda chegada de montanha, no observatório de Mont Aigoual, também será determinante na primeira parte da competição.

O percurso seguirá então para o oeste dos Pireneus, via Millau e Cazères, na região de Garonne, para um fim de semana de pura escalada. A 8ª etapa, em Loudenvielle, vai escalar o Col de Menté, Porte de Balès e o Col de Peyresourde. No dia seguinte, será a vez de percorrer o trajeto de Pau a Laruns, com o Col de la Hourcère e o Col de Marie Blancque no caminho.

Após o primeiro dia de descanso, o pelotão será transferido 400 km ao norte, na costa do Atlântico, para a 10ª etapa, com 180 km ao redor de um deslumbrante mas possivelmente trajeto marcado por fortes ventos. O Maciço Central dos Alpes, que foi muitas vezes esquecido por razões logísticas, está de volta na 13ª etapa, com chegada em Pas de Peyrol (Puy Mary), com 1.589 metros de altura, no coração dos vulcões extintos de Auvergne.

A segunda semana termina com uma etapa de Clermot-Ferrand a Lyon e, em seguida, uma etapa de Lyon até o topo do Grand Colombier, antes do segundo dia de descanso.

A terceira semana começa com uma etapa acidentada para Villard-de-Lans, que inclui a escalada do Montée de Saint Nizier de Moucherotte antes da técnica descida final. A 17ª etapa será intensa, de Grenoble a Méribel, com chegada na recém-construída ciclovia até o Col de la Loze, a 2.304 m de altura, e passagem pelo espetacular Col de la Madeleine, em um percurso que, desde já, a torna uma mais importantes etapas da competição.

Ainda nos Alpes, a 18ª etapa será igualmente difícil, com o Cormet de Roseland, o Col des Saisies, o Col des Aravis e o Plateau de Glières antes da chegada em La-Roche-sur-Foron. Depois de uma etapa de transição em Champagnole, o pelotão terá que enfrentar a 20ª e penúltima etapa, uma cronoescalada de 36 km até La Planche des Belle Filles. Na última década, a penúltima etapa do Tour foi montanhosa em cinco ocasiões: Mont Ventoux (2009), Semnoz (2013), Alpe d’Huez (2015), Morzine (2016) e Val-Thorens (2019).

AS ETAPAS

Etapa 1 – Sábado, 29 de agosto – Nice – 156 km
Etapa 2 – Domingo, 30 de agosto – Nice a Nice – 187 km
Etapa 3 – Segunda-feira, 31 de agosto – Nice a Sisteron 198 km
Etapa 4 – Terça-feira, 1 de setembro – Sisteron a Orcieres-Merlette 157 km
Etapa 5 – Quarta-feira, 2 de setembro – Gap a Privas 183 km
Etapa 6 – Quinta-feira, 3 de setembro – Le Teil a Mont Aigoual 191 km
Etapa 7 – Sexta-feira, 4 de setembro – Millau a Lavaur 168 km
Etapa 8 – Sábado, 5 de setembro – Cazeres a Loudenvielle 140 km
Etapa 9 – Domingo, 6 de setembro – Pau a Laruns 154 km

Descanso – Segunda-feira, 7 de setembro

Etapa 10 – Terça-feira, 8 de setembro – Ile de Re a Il d’Oleron 170 km
Etapa 11 – Quarta-feira, 9 de setembro – Chatelaillon-Plage a Poitiers 167 km
Etapa 12 – Quinta-feira, 10 de setembro – Chavigny a Sarran 218 km
Etapa 13 – Sexta-feira, 11 de setembro – Chatel-Guyon e Puy Mary 191 km
Etapa 14 – Sábado, 12 de setembro – Clermont-Ferrand a Lyon 197 km
Etapa 15 – Domingo, 13 de setembro – Lyon a Grand Colombier 175 km

Descanso – Segunda-feira, 14 de setembro

Etapa 16 – Terça-feira, 15 de setembro – Tour du Pin a Villard-de-Lans 164 km
Etapa 17 – Quarta-feira, 16 de setembro – Grenoble a Meribel 168 km
Etapa 18 – Quinta-feira, 17 de setembro – Meribel a La Roche-sur-Foron 168 km
Etapa 19 – Sexta-feira, 18 de setembro – Bourg-en-Bresse a Champagnole 160 km
Etapa 20 – Sábado, 19 de setembro – Contrarrelógio La Planche des Belles Filles 36 km
Etapa 21 – Domingo, 20 de setembro – Mantes-la-Jolie a Paris 122 km

Fonte: Bike Magazine