TIME TEM UM NOVO DONO, A STARTUP WHATTFORNOW

TIME TEM UM NOVO DONO, A STARTUP WHATTFORNOW

13 de junho de 2020 0 Por Flavio Menezes

Uma das tradicionais marcas francesas, a Time,  intimamente ligada ao ciclismo de estrada e à fabricação de pedais está mudando de dono, sai do Grupo Rossignol para as mãos da startup WhaTTfornow. Os novos donos acreditam na força da marca e tem por objetivo criar um polo de marcas francesas voltadas pra a bicicleta na região de Auvergne-Rhône-Alpes

 

                                                                                      Time Sports foi negociada pelo Grupo Rossignol para uma startup WhaTTfornow

 

Fundada em 1987 por Roland Cattin, e seu genro, o engenheiro e esquiador  Jean Beyl, criador dos pedais de encaixe rápido ou clip   e proprietário da Look até 1983, quando foi adquirida pelo controverso  empresário Bernad Tapie fundador da equipe La Vie Claire, a Time foi a primeira a desenvolver um pedal com flutuação, um projeto de Beyl que não convenceu os diretores da Look  e que  foi a mola que impulsionou a criação de uma concorrente que ganhou o mundo.

Em 1993, a Time passou a construir quadros,  garfos e componentes em fibra de carbono desenvolvendo seu próprio equipamentos trabalhando com os fios brutos de carbono, comprados no Japão, Alemanha ou Estados Unidos. A Time tece suas próprias camadas tubulares de carbono personalizadas em sua fábrica de RTM em Vaulx-Milieu , na França, fora de Lyon. Isso dá aos engenheiros da Time o controle das características técnicas de cada camada de carbono, bem como a liberdade de forma das peças do quadro. Mantendo sempre a perfeição na construção dos quadros, daí controlar a maior parte do processo para garantir a melhor rigidez ou flexibilidade aliada ao processo por ela desenvolvido.

                                                                                                                  Pedal Xpro15 – corpo em carbono e eixo em titânio

 

A marca não se rendeu à terceirização da sua produção em países asiáticos, e seguindo o ideal de seu fundador, morto de forma repentina em 2014, buscou defender, conservar e cultivar um know-how único mantendo a marca fiel à sua origem francesa.

Com  a morte de seu fundador, a Time finalmente foi  adquirida em 2016 pelo grupo Rossignol;  líder no segmento de esportes de inverno com roupas e esquis, a marca buscava diversificar sua linha de produtos, e apostava em uma sinergia com a Time criando um plano de reestruturação e de redução de custos. Com a chegada dos novos proprietários  parte da produção dos quadros de carbono e componentes foi direcionada  para uma subsidiária, a Carboprax, instalada  em Gajary, na Eslováquia, em busca de maior competividade.

Apesar dos investimentos feitos pela Rossignol, com a modernização da fábrica de pedais em Nevers, na França e a fábrica de componentes e quadros de carbono Carboprax,  os números não refletiam os desejos da controladora que em 2017 também havia adquirido a marca estadunidense Felt Bicycles em busca de mais diversificação em seu portfolio de produtos.

 

                                                                                            Pedal Atac XC Absalon leva a asssinatura do multicampeão Julien Absalon 

Desde o final do ano passado quando as vendas da Time caíram quase pela metade a Rossignol buscava um comprador para a marca e com isso poder canalizar  sua energia para a produção de bicicletas de estrada e triatlo com a Felt e a linha de mountain bikes e e-bikes com a marca Rossignol – marca muito presente em estações de esqui e oferecida nesses locais em serviços de aluguel.  Nas negociações surgiu a startup WhaTTfornow, uma empresa criada por engenheiros e ex-funcionários da Salomon que iniciou suas atividades em 2016 com o desenvolvimento de uma série de modelos de e-bikes.

O acordo da aquisição da Time pela WhaTTfornow foi oficializado no último dia 5 de junho.  Os novos proprietários deverão assumir a produção de quadros,  garfos e componentes de carbono da Carboprax além de assumir os departamentos de design e a comercialização dos pedais com a marca Time que continuarão sendo produzidos pela Rossignol, em sua fábrica de Nevers.

Para a conclusão definitiva do negócio faltam alguns detalhes ligados ao financiamento da operação, porém o Grupo Rossignol destaca as garantias bancarias e sociais fornecidas pelo comprador,  assim todo o processo deverá ser finalizado em mais ou menos um ou dois meses.

O Grupo Rossignol se rendeu ao novo  comprador, graças ao seus interesse por manter a marca Time e de colocá-la em sinergia com os produtos da WhaTTfornow que está trabalhando no desenvolvimento de um polo industrial francês da bicicleta, na região de Auvergne-Rhône-Alpes chamado Vélo du Futur

 

 

O engenheiro e fundador da WhaTTfornow,  François Guers comentou o acordo: “Ao assumir o desafio de relançar a Time, uma marca francesa emblemática e muito inovadora em bicicletas esportivas, a WhaTTfornow completa sua gama de e-bikes destinadas a jovens e atletas.. Ao se reconectar com lojas especializadas no mundo das bicicletas e, em particular, aquelas que permaneceram fiéis apesar de um período mais difícil, a Time poderá realmente crescer graças a novos produtos inovadores”.

Para Guers, a Time dará confiança e será o cartão de visita da sua startup: ” Começamos nossa atividade com bicicletas elétricas, mas como uma startup, leva tempo para ser conhecida e a Time é uma marca com a qual poderemos ganhar dinheiro que será utilizado para fortalecer a marca Whatt”.

Bruno Cercley, Presidente e CEO da Rossignol, disse: “Estou muito satisfeito com este acordo, sugerindo um desenvolvimento interessante e sustentável para a Time, em um novo ambiente que compartilha a mesma paixão que a Rossignol pela inovação. Teremos o maior prazer em acompanhar essa nova aventura participando, por meio de nossas marcas de bicicletas Felt e Rossignol, no desenvolvimento do projeto regional para o setor Vélo du Futur. A bicicleta continua sendo um forte eixo estratégico para o Grupo e focaremos nossos esforços em mountain bikes e mountain bikes elétricas com a Rossignol e em bicicletas de estrada com a Felt. O entusiasmo mundial pelo ciclismo, especialmente nas montanhas, confirma essa abordagem ”.

O projeto Vélo du Futur, mostra um novo caminho que vem sendo adotado por algumas empresas europeias do setor: a regionalização da produção em alguns polos tecnológicos  e uma menor dependência de fornecedores distantes: ” Com a marca Whatt, o único componente que não é fabricado na região,  é fabricado em Taiwan. As peças mecânicas são usinadas em Rumilly, as peças de plástico são injetados em Oyonnax e os componentes eletrônicos são fabricados em Grenoble. Tudo o que você pode fazer por perto, não precisa procurar mais ” , diz o fundador do WhaTTfornow; o que  pode parecer um exagero,  afinal Guers esqueceu do câmbio e mais alguns componentes.

 

                                                                                                    e-bike da WhaTTfornow – nova marca que controlará a Time

A equipe de pouco mais de dez funcionários que trabalhavam no desenvolvimento e no design da Time, junto ao Grupo Rossignol, em Sain-Jean-de-Moirans – será mantida pela WhaTTfornow, porém terão de se deslocar para um novo local de trabalho.  ” Enquanto esperam para se mudar para a região de Annecy, poderão trabalhar a distância por vídeo conferencia duas vezes por semana” , disse François Guers, proprietário da start-up que concluiu: “É uma nova página que a abre para as vinte pessoas (WhaTTfornow e Time) que incluirá, a partir do mês de setembro, o novo estabelecimento na antiga fábrica de esqui Salomon, proposta pelo Conselho Geral de Haute Savoie como acampamento base nesta nova aventura “.

Nesse movimento comercial, e na criação do polo Vélo du Futur pode haver algo muito maior, incluindo aí a Mavic, que o advogado Didier Poulmaire está tentando resgatar economicamente e que recentemente se reuniu com um grupo de investidores –  coincidentemente  fica na mesma região a apenas 10 quilômetros da sede da WhaTTfornow.

Pode parecer pura especulação, mas não se sabe quem é o grupo de investidores que garantiu o fôlego para que a WhaTTfornow fizesse a aquisição da Time, coloque no caldeirão a proposta do projeto Vélo du Futur que busca a criação de um polo de marcas francesas  pode ser um projeto muito maior e caso se concretize, poderá resultar no relançamento ao mundo de grandes marcas francesas