Tour 2021: Tourmalet é o grande desafio da semana final

Tour 2021: Tourmalet é o grande desafio da semana final

13 de julho de 2021 0 Por Flavio Menezes

O Tourmalet já foi escalado 79 vezes no Tour, mais do que qualquer outra montanha na história da competição

Do Bikemagazine
Fotos de divulgação

A terceira e última semana do Tour de France terá muitas escaladas até a chegada em Paris, no domingo. Entre elas a mais esperada é a subida ao mítico Col du Tourmalet, na 18ª etapa, na próxima quinta-feira. A etapa com 129,7 km entre Pau e Luz Ardiden terá, além do Tourmalet, a 2.115 metros de altitude e que tem 17,1 km a 7,3% de inclinação, uma escalada final a Luz Ardiden, com 13,3 km a 7,4%.

O Col du Tourmalet, o “gigante dos Pirineus”, foi escalado pelo Tour de France pela primeira vez em julho de 1910. A subida marcou a estreia do pelotão da prova acima dos 2 mil metros de altitude e as duas subidas para o Tourmalet já foram utilizadas 79 vezes pelo Tour, mais do que qualquer outra montanha na história da competição.

O Tourmalet só entrou no percurso do Tour depois de muita coragem e determinação. Antes de 1910, o Tourmalet era apenas um caminho entre dois dos picos mais altos dos Pirineus e a trilha era usada apenas por pastores que viviam entre os vales. O jornalista esportivo Alphonse Steines, de Luxemburgo, grande colaborador do criador do Tour, Henri Desgrange, foi o primeiro a sonhar com sua inclusão no percurso da prova.

A mítica subida nos Pirineus

O Tourmalet será escalado na 18ª etapa do Tour 2021

Octave Lapize foi o primeiro a encarar o Tourmalet

A ideia de Steines não foi bem-recebida e quando os moradores locais entenderam o que ele estava planejando o jornalista chegou a ser motivo de piada. Eles estavam acostumados a estranhos que vinham para as montanhas de carro e que fracassavam ao tentar atravessar o caminho. Destemido, Steines apresentou-se ao superintendente de estradas da região, um homem chamado Blanchet, que também riu na cara dele. Era impossível. Talvez algumas das estradas ao longo dos desfiladeiros pudessem levar um ou outro carro, mas uma comitiva inteira de veículos de apoio e 250 homens em bicicletas? Impossível. Não só as estradas eram íngremes, elas também estavam em péssimas condições.

Steines, então, disse a ele que nada poderia ser feito sobre a inclinação da montanha, mas algo poderia ser feito sobre as condições da estrada. Ele prometeu ajuda financeira e Blanchet avaliou que seria preciso 5 mil francos. Steines comunicou a proposta a Desgrange, que ofereceu 3 mil francos. Blanchet aceitou.

Mas, antes de ir embora, Steines queria atravessar a passagem de carro e contratou um guia para o levar. Perto do topo, com muita neve, teve de desistir da ideia, mas resolveu continuar a pé, mesmo depois que o guia se recusou. O jornalista foi sozinho, e a certa altura caiu e perdeu-se, mas teve sorte de ser encontrado por uma equipe de resgate às 3h da madrugada. “Eu estava perdido e sozinho na escuridão. Eu não queria morrer em uma montanha hostil e desconhecida”, relatou na época.

Depois de descer a montanha e se recuperar, na manhã seguinte Steines enviou um telegrama a Desgrange, em Paris, que ficou famoso, onde se lia: “Atravessei o Tourmalet. Muito boa estrada. Perfeitamente passável. Assinado Steines”.

Steines é lembrado em placa na subida ao Tourmalet

A terceira semana do Tour começa nesta terça-feira com a 16ª etapa, com 169 km entre Pas de la Case e Saint-Gaudens. No percurso estão o Col de Port, o Col de la Core e o Col de Portet d’Aspet antes da chegada plana.

Altimetria da 16ª etapa

Três grandes escaladas na 17ª etapa, com chegada ao Col du Portet

A 17ª etapa, entre Muret e Saint Lary Soulan-Col du Portet, com 178,4 km, começa nos pés dos Pirineus e terá três grandes desafios em sequência, o Peyresourde (13,2 km a 7%), o Val Louron-Azet (7,4 km a 8,3%) e, para finalizar, a subida de 16 km em uma inclinação média de 9% até o topo do Col du Portet, a 2.215 metros de altitude.

Na 18ª etapa, com 129,7 km entre Pau e Luz Ardiden, chegou a hora de encarar o Tourmalet.

E assim terminam as altas montanhas. A 19ª etapa, de 207 km entre Mourenx e Libourne, será uma etapa para velocistas que tem tudo para agradar os sprinters que sobreviveram aos Pirineus. A 20ª etapa, o penúltimo dia do Tour 2021, será um contrarrelógio individual de 30,8 km entre Libourne e Saint-Emilion.

A 19ª etapa será plana

Contrarrelógio da penúltima etapa terá 30,8 km de percurso

Etapa final do Tour 2021

O Tour 2021 termina na 21ª etapa, como já é tradição, em Paris, na bela avenida Champs-Élysées, depois de um percurso de 108,4 km onde os donos das camisas aproveitam para festejar enquanto os sprinters se preparam para a última chance de brilhar. A etapa larga de Chatou, que fica no departamento de Yvelines, pela quarta vez consecutiva. Yvelines, vale destacar, será a sede das modalidades do ciclismo (estrada, pista, mountain bike e BMX) nos Jogos Olímpicos de 2024 em Paris.

AS ETAPAS
Etapa 1 – 26 de junho – Brest – Landerneau – 197,8 km
Etapa 2 – 27 de junho – Perros-Gueirec – Mûr-de-Bretagne – 183,5 km
Etapa 3 – 28 de junho – Lorient – Pontivy – 182,9 km
Etapa 4 – 29 de junho – Redon – Fougeres – 150,4 km
Etapa 5 – 30 de junho – Changé – Laval – 27,2 km contrarrelógio individual
Etapa 6 – 1 de julho – Tours – Chateauroux – 160,6 km
Etapa 7 – 2 de julho – Vierzon – Le Creusot – 249,1 km
Etapa 8 – 3 de julho – Oyonnax – Le Grand-Bornand – 150,8 km
Etapa 9 – 4 de julho – Cluses – Tignes – 144,9 km
Dia de descanso 1
Etapa 10 – 6 de julho – Albertville – Valence – 190,7 km
Etapa 11 – 7 de julho – Sorgues – Malaucene – 198,9 km
Etapa 12 – 8 de julho – St-Paul-Trois – Chateaux Nimes – 159,4 km
Etapa 13 – 9 de julho – Nimes – Carcassonne – 219,9 km
Etapa 14 – 10 de julho – Carcassonne – Quillan – 183,7 km
Etapa 15 – 11 de julho – Céret – Andorre la Vieille – 191,3 km
Dia de descanso 2
Etapa 16 – 13 de julho – Pas de la Case – Saint-Gaudens 169 km
Etapa 17 – 14 de julho – Muret – Saint Lary Soulan-Col du Portet 178,4 km
Etapa 18 – 15 de julho – Pau – Luz Ardiden 129,7 km
Etapa 19 – 16 de julho – Mourenx – Libourne 207 km
Etapa 20 – 17 de julho – Libourne – Saint-Emilion – 30,8 km Contrarrelógio individual
Etapa 21 – 18 de julho – Chatou – Paris-Champs-Élysées 108,4 km