COLNAGO NÃO É MAIS 100% ITALIANA. PASSARÁ A SER CONTROLADA POR UM FUNDO ÁRABE

COLNAGO NÃO É MAIS 100% ITALIANA. PASSARÁ A SER CONTROLADA POR UM FUNDO ÁRABE

5 de maio de 2020 0 Por Flavio Menezes

De olho no futuro, Ernesto Colnago passa o controle de sua icônica marca para o fundo de investimentos Chimera LLC, com sede em Abu Dhabi. Aposta é que com a chegada dos investidores, a marca Colnago passe por uma reestruturação e que a leve a reconquistar mercados

 

Por muitos anos, com a transferência da produção dos quadros de alumínio e com a consolidação e massificação dos quadros de fibra de carbono se dizia que a Colnago teria parte das suas ações em mãos da gigante taiwanesa Giant, onde alguns de seus modelos eram produzidos. A informação nunca se confirmou, e gente muito próxima a Ernesto Colnago, com relação muito além do comercial, havia nos confidenciado que o Maestro negava que essa operação tivesse acontecido alguma vez, apesar de produzir naquela fábrica alguns de seus modelos.

Porém nesta segunda-feira (04/05) outra informação circulou com força nos meios de comunicação especializados da Itália e a noticia logo reverberou pelo mundo: o Chimera Investments LCC, um fundo de investimentos com sede em Abu Dhabi comprou a maioria das ações da Colnago.

 

                                                                                                                        Colnago inspeciona um quadro de aço cromoly 

Ao divulgar a operação, Ernesto Colnago declarou: “Chimera Investments possibilitarpa que a Colnago cresça e incremente sua presença em todos os mercados, mantendo e aumentando ainda mais a qualidade dos produtos Colnago. Temos uma oportunidade única, com o apoio da Chimera, de continuar e construir as melhores bicicletas do mundo também no futuro”.

Na mesma declaração, a Chimera Investments acrescentou: “Em nome de todos os fãs de Colnago no mundo, gostaríamos de agradecer Ernesto Colnago, maestro do desenho e inventor de fantásticas bicicletas e gostaríamos de continuar o caminho que traçou e continuar seu legado, garantindo à marca Colnago um futuro luminoso. O senhor Colnago será sempre o padrinho e  força motriz do desenvolvimento de todos os produtos futuros”.

 

                                                                                                                           Colnago com os tubos de carbono de sua C64 

Aos 88 anos, o Maestro que começou como mecânico,  fundou e deu o seu nome à empresa em 1954 sempre apontando à alta qualidade, à inovação transformou-se em sinônimo de grandes bicicletas de estrada. Não foi em vão que por muitos anos teve como parceira a Ferrari, tendo relação muito próxima do comendador Enzo Ferrari, que em sua primeira parceria com o fabricante de bicicletas, declarou: Quero apenas coisas belas, à altura da Ferrari”.

A marca Colnago teve uma ligação muito forte com Eddy Merckx, foi Colnago que construiu a bicicleta para que o belga estabelecesse o recorde da Hora em 1972, na Cidade do México, construindo uma bicicleta de 7 kgs, algo impensável à época. Outra parceria de sucesso foi com o Giuseppe Saronni que conquistou o mundial de Goodwood’1982 pedalando uma Colnago e sempre esteve ligado à marca, mesmo depois de pendurar as sapatilhas, quando assumiu a direção de históricas equipes como a Lampre-Colnago, Mapei-GB e atualmente patrocinando a UAE Emirates.

Um dos modelos míticos é a C40 bicicleta que com Franco Ballerini venceu duas París Roubaix, nesse mesmo terreno Johan Museew venceu com uma Colnago equipada com suspensão dianteira.

Colnago foi um dos pioneiros na construção de quadros em fibra de carbono por incentivo de Enzo Ferrari que no início dos anos 80 sugeriu ao construtor que introduzisse o novo material que começava a entrar no mundo da Fórmula 1, nos quadros para ciclismo de estrada. “Com a Ferrari e o Politecnico de Milano fizemos um estudo que durou cerca de um ano para desenvolver um tudo de carbono que tivesse a mesma resistência do aço. Depois disso começamos com a primeira bicicleta. Ninguém acreditava”, comentou Colnago, também pioneiro na construção de quadros monocasco em carbono. E também foi ele um dos responsáveis pelo desenvolvimento dos freios a disco para bicicletas de estrada. “Queria qualquer coisa mais eficiente e me perguntava porquê não usar o sistema das motos. Pedi a uma empresa de Bergamo que produzia freios para as motos de cross que desenvolvesse um protótipo que desenhei na minha prancheta”.

Em meio a gigantes do setor de origem americana com grandes investimentos em marketing e fazendo frente ao movimento de seu principal concorrente italiano, adquirido a cerca de 4 anos pelo grupo voltado para artigos de luxo LVMH Group (Louis Vuitton), Colnago, aos 88 anos aposta na continuidade do mito do Ás de Paus (na Itália conhecido como Asso di Fiori ) garantindo o futuro para seus familiares, sobrinhos e apostando na continuidade da marca; fato importante pois o setor tem muitas histórias de marcas icônicas que desapareceram com a idade avançada de seu fundador ou a falta de herdeiros com a mesma pujança para dar continuidade ao projeto.

A chegada da Chimera, é mais um tentáculo dos Emirados Árabes nos esporte a pedal que além de uma equipe no pelotão world tour, evento de destaque no calendário, entre outros investimentos, agora aposta em uma das mais tradicionais marcas de bicicletas.