CONHEÇA OS PRINCIPAIS TIPOS DE BICICLETA

CONHEÇA OS PRINCIPAIS TIPOS DE BICICLETA

24 de junho de 2022 1 Por Flavio Menezes

Quem deseja começar a pedalar, ou já se aventura no ciclismo, deve ter notado que existem vários tipos de bicicleta, não é mesmo? São modelos que variam em termos de funcionalidade, design e indicação de uso.

Para escolher a magrela ideal, é indispensável entender para que essas bikes são indicadas. Parece muito complicado? A Bike Registrada desvendou os mistérios dos diferentes tipos de bicicleta para você. Confira!

QUAIS SÃO OS TIPOS DE BICICLETA?

O ciclismo é um esporte muito amplo. Existem diversas modalidades e cada uma com exigências específicas em relação à magrela ideal. Vamos ver em detalhes?

MOUNTAIN BIKE

A mountain bike, também conhecida como MTB, é a mais indicada para quem deseja pedalar em trilhas e em terrenos acidentados.

Em geral, essa é uma magrela mais robusta e um pouco mais pesada. Afinal, conta com catracas, cassetes e quadros maciços, capazes de aguentar o “tranco” dos terrenos mais complicados, subidas e descidas íngremes, lama e outras adversidades comuns das trilhas.

O MTB, ainda, se divide em diversas submodalidades. E por isso, mesmo as mountain bikes, podem ter diferenças entre si.

BIKES DE CROSS-COUNTRY

O cross-country, também chamado de XC, é a modalidade de ciclismo mais praticada e conhecida no Brasil. Os praticantes curtem se aventurar por trilhas com foco em subidas e descidas.

Existe tanto o XCO (Cross Country Olímpico), que ocorre em várias voltas em circuitos com cerca de 4 km, e o XCM (Cross Country Maratona), que envolve trilhas e estradas em uma volta só e um percurso mais longo.

As bikes de XC costumam ter uma suspensão entre 100mm e 120 mm de curso, sendo estas últimas mais indicadas para provas técnicas de XCO, em circuitos com muitos obstáculos.

Esse tipo de bicicleta é indicado para quem deseja pedaladas com mais desempenho, quilometragens maiores ou participar de competições de XCO e XCM.

BIKES DE TRAIL OU ALL MOUNTAIN

Essas são as MTBs mais indicadas para quem está em busca de pedaladas mais recreacionais que o XC. O desempenho ainda é importante, mas o ciclista tem um foco maior no controle da bike e na diversão durante o pedal.

Assim, as bikes de trail lembram às de XC, mas com algumas variações, com uma geometria e pneus adaptados para descidas suaves, curso de suspensão entre 120 a 140 mm, pneus um pouco mais pesados e agressivos, guidões mais largos e canotes retráteis (em alguns casos).

BIKES DE ENDURO

Essas são as bikes ideais para quem busca se divertir nas descidas. Embora as magrelas consigam ter um bom desempenho nas subidas, a maior parte do projeto das bikes de enduro foi pensado para as descidas íngremes das trilhas.

Geralmente contam com suspensão de 140 até 170 mm, caixas de direção mais deitadas, entre eixos mais longos e pneus mais largos e resistentes.

BIKES DE DOWNHILL

O Downhill é uma modalidade bem diferenciada, com foco em descidas e manobras. Por isso, essa é uma bike única, com marchas reduzidas, suspensões com até 200mm de curso, pneus mais grossos e uma estrutura reforçada e resistente, com geometrias que favorecem o controle do ciclista.

HARDTAIL X FULL SUSPENSION

Quando o assunto é MTB, podemos encontrar, basicamente, duas opções de bicicleta: hardtail e full suspension.

A hardtail é uma MTB que possui suspensão no garfo dianteiro, com quadro rígido. É uma bike muito usada e bacana para pedalar em diversos tipos de terrenos, como estrada de terra, asfalto, trilhas etc.

Já a full suspension é o modelo com suspensão total, ou seja, suspensão no garfo dianteiro e traseiro, dividindo o quadro em partes móveis. Isso proporciona mais flexibilidade e absorção de impactos. Por isso, é a mais usada em competições do MTB profissional.

ESTRADA (SPEED)

O ciclismo de estrada tem como principal característica a velocidade. Por isso, as bikes de speed são diferentes da MTB. Elas têm quadros e acessórios mais leves, com uma geometria voltada para o ganho de aerodinâmica. As bikes, ainda, não contam com suspensão.

Aqui, também existem alguns tipos de bicicleta, como:

  • Bikes Aero, possuem tubos com formatos para cortar o vento, oferecendo melhor desempenho em trechos planos de alta velocidade. Os tubos são mais largos e as rodas costumam ter aros de perfil alto;
  • Bikes Race, possuem um mix de qualidade para encarar terrenos variados. São leves e com boa aerodinâmica. Os tubos são mais estreitos e as rodas mais baixas (em torno de 30 a 50 mm);
  • Bikes Endurance, têm geometria e projeto que privilegiam o conforto, ideais para quem deseja encarar longas jornadas sobre a bike. Além da posição mais confortável, contam com pneus mais largos e quadros capazes de filtrar as trepidações;
  • Bikes Gravel, são um misto de bicicleta de estrada e de trilha, voltadas sobretudo para os estradões de terra;
  • Bikes contra-relógio (TT), criadas com o objetivo de furar o vento. Existem TTs de velódromo e de estrada. São projetadas para andar no plano preferencialmente em linha reta e jamais devem ser usadas em pelotões;
  • Bikes de ciclocross, são bikes leves, versáteis, com pneus que não podem passar de 33mm e que devem seguir as regulações da UCI para provas de ciclocross;
  • Bikes de touring, possuem uma construção mais robusta e uma posição de pedalada mais ereta, além de pneus maiores e uma relação de marchas mais leve que a estradeira tradicional. É ideal para quem vai pedalar longas distâncias.

BMX

O BMX, também conhecido como Bicicross, é uma modalidade inspirada no Motocross. As bikes de BMX se tornaram popular nas décadas de 1970 e 1980.

Hoje o BMX é dividido em duas modalidades: Race (corrida) e Freestyle (estilo livre/manobras), do qual fazem parte cinco submodalidades: street, mini ramp, dirt jump, flatland e vertical.

As bikes de BMX possuem aros 20″ e 24″. No BMX Race, a magrela é mais leve, pois foca no desempenho e na velocidade. No freestyle, dirt e street, os componentes são mais duráveis e resistentes, porém, pesam mais.

QUAIS OS MELHORES TIPOS DE BICICLETA PARA ANDAR NA CIDADE?

A sua ideia não é praticar nenhuma modalidade do ciclismo, mas sim usar a magrela para passear na cidade ou se deslocar em trechos urbanos? Também existem tipos de bicicleta específicos para essas demandas.

BICICLETA URBANA

A bike urbana é a indicada para se locomover pela cidade. Esse é o modelo mais vendido. Em geral, possui um design leve e simples, com mais opções de marchas e assento confortável.

Os garfos de suspensão são bons itens em uma bike urbana, porque aliviam os impactos causados pelos desníveis e degraus. Os pneus para asfalto devem ser lisos, finos e macios, com sulcos laterais, para uma pedalada mais estável, aderente e rápida.

BICICLETA PARA PASSEIO

Essas bikes têm o objetivo de fazer com que o ciclista realize os circuitos sem muitos esforços. Em geral, são indicadas para pedaladas curtas.

São modelos com cestinhas, compartimentos para sacolas e bagagens leves e garupa. Assim, você consegue transportar mochilas, compras do supermercado e até outras pessoas.

Geralmente, as bikes de passeio têm marchas, bancos largos e confortáveis e uma estética bem diferenciada, com um visual charmoso.

BIKES DOBRÁVEIS

As bicicletas dobráveis são ótimas para os ambientes urbanos, especialmente para quem faz baldeação. Por exemplo, pegará metrô ou ônibus e depois irá pedalar por mais um trajeto.

Em média, essas bicicletas pesam 10 kg e há modelos que, quando dobrados, podem ser puxados, como se fossem uma mala de rodinhas. Contudo, costuma ser menos veloz e menos eficaz em subidas.

BICICLETA ELÉTRICA OU HÍBRIDA

bicicleta elétrica ou híbrida pode ser movida total ou parcialmente por um motor elétrico. O objetivo é deixar o pedal mais leve, auxiliando na hora de pegar subidas.

Hoje já existem MTBs elétricas. Contudo, a maior parte dos modelos é voltada para o deslocamento urbano. Tornando mais simples se deslocar, sem ter que fazer tanto esforço.

Quer ir para o trabalho de bicicleta, mas não quer chegar suado e cansado? A bike elétrica é uma grande aliada.

BICICLETA INFANTIL

A bike infantil é a ideal para as crianças. Sem dúvida, esse é o modelo que fez com que muitas pessoas entrassem no mundo do ciclismo.

Dependendo do modelo, pode ser encontrada em versões com rodinhas e sem marchas, especialmente para os pequenos que estão aprendendo a pedalar. Para os mais velhos, há opções com quadros maiores e até com marchas.

O tamanho do aro varia de acordo com a idade da criança. Em geral, a indicação é:

  • aro 12, para crianças de 2 a 3 anos e meio;
  • aro 16, para crianças de 3 anos e meio a 6 anos;
  • aro 20, para crianças de 6 a 9 anos;
  • aro 24, para crianças de 9 a 12 anos;
  • aro 26 (adulto), para crianças acima de 12 anos.

QUAL A BICICLETA CERTA PARA MIM?

Com tantos tipos de bicicleta, está complicado escolher o ideal para você? O mais importante é se questionar:

  • para que irei usar a bike;
  • onde irei pedalar;
  • com qual frequência irei pedalar;
  • qual o meu orçamento para comprar a bike.

Assim, você pode pensar em opções para modalidades específicas, passeios recreacionais ou para se deslocar pelas cidades.

Quem só quer pedalar aos finais de semana, por exemplo, não precisa investir em uma bike XC, com vários recursos que nunca usará. Já um ciclista que deseja pedalar mais tecnicamente e começar a competir, precisa de uma magrela compatível com a modalidade.