Tour 2021: Froome confirmado, mas não será o líder da equipe

Tour 2021: Froome confirmado, mas não será o líder da equipe

19 de junho de 2021 0 Por Flavio Menezes

Israel Start-Up Nation confirma a equipe para o Tour 2021, que terá Michael Woods na liderança, além de Dan Martin e Greipel

 

Os selecionados para o Tour de France 2021

 

Chris Froome, quatro vezes campeão do Tour de France, foi confirmado na competição de 2021, mas não será o capitão do time Israel Start-Up Nation. O líder será Michael Woods e a equipe vai contar também com Dan Martin, André Greipel, Omer Goldstein, Reto Hollenstein, Guillaume Boivin e Rick Zabel.

Froome festejou seu retorno ao Tour. “Tão incrivelmente feliz por estar de volta. Obrigado a todos que tornaram isso possível. Nunca deixe de acreditar”, escreveu nas redes sociais.

“Estou muito animado para liderar a equipe, já tive a oportunidade de liderar uma equipe em um Grand Tour antes, mas nunca no Tour de France. Estou honrado por receber esta posição, especialmente considerando a qualidade da equipe que temos”, comemorou Woods.

 

Desde que terminou em terceiro na edição de 2018, Froome não correu o Tour depois que uma lesão que ameaçou seu futuro no ciclismo em junho de 2019 o excluiu da corrida daquele ano. Em 2020, ficou de fora mais uma vez por sua condição não foi considerada boa o suficiente para encarar a corrida de 21 etapas.

De volta ao pelotão em 2021, Froome ainda luta para recuperar sua forma. Seus melhores resultados nesta temporada foram dois 47º lugares na classificação geral final da Criterium du Dauphine e no UAE Tour.

 

                                                                                                         Froome nos treinamentos nos Alpes

 

Mas, mesmo que não esteja totalmente recuperado, Froome, campeão de sete Grand Tours, é considerado valioso na equipe por sua experiência, principalmente para Woods, que tem como objetivo tanto vitórias em etapas quanto uma boa colocação na classificação geral. “Como é quatro vezes vencedor do Tour, o valor de sua experiência não pode ser subestimado. Será extremamente útil para a equipe durante a corrida”, afirmou gerente da equipe Rik Verbrugghe.

“Nunca é fácil fazer a seleção final para o Tour de France. Cada ciclista tem seu próprio conjunto de habilidades a oferecer e precisamos reuni-los todos, trabalhando em equipe. Não se trata apenas de selecionar um ou outro. Temos que selecionar um grupo inteiro que trabalhe bem em conjunto para um objetivo comum ao longo das três semanas”, explicou Verbrugghe.

“Para começar, Mike será o nosso líder, pois Dan já fez o Giro. Mas, é claro, se Dan puder aumentar essa contagem no Tour, será perfeito para nós. Na verdade, vamos fazer o Tour da mesma forma que fizemos o Giro, só que agora temos dois para proteger. Olhando para a equipe que estamos trazendo, acredito plenamente que colocaremos nossa marca na corrida”, afirmou.

“Esperamos ver o progresso de Chris etapa por etapa ao longo da corrida. Em desempenho, acredito que veremos melhora entre a Dauphiné e Tour após nosso recente treinamento nos Alpes”, completou.

Nesta semana, Froome postou um treino no Strava nos Alpes que durou quase nove horas. Ele pedalou 237,2 km em um tempo de 8h41min03s, escalando 11 passagens de montanha. No total, Froome escalou 5.161m de altitude, com média de 27,3km/h. “Tem sido uma jornada árdua desde a minha queda na Critérium du Dauphiné em 2019 e voltar ao Tour tem sido uma das minhas maiores motivações. Tenho trabalhado incansavelmente para chegar onde estou.”

Caso Froome realmente mostre que suas condições melhoraram, a equipe afirma que ele poderá assumir um papel de liderança na Volta a Espanha, um Grande Tour que ele venceu duas vezes.